Concorrentes Chefe Cozinheiro do Ano 2017

André Lança Cordeiro – Hotel Nau Palácio do Governador, Lisboa
Diogo Novais Pereira – Restaurante Oficina, Porto
Duarte Madeira – Restaurante Bastardo, Lisboa
Duarte Eira – Restaurante Salpoente, Aveiro
Elísio Bernardes – Escola de Hotelaria e Turismo do Porto
Filipe Ramalho – Torre de Palma Wine Hotel, Monforte
Flávio Silva – Villa Pampilhosa Hotel, Pampilhosa da Serra
Joaquim Crato – Restaurante Chico’s, Palmela
Leandro Araújo – Restaurante São Gabriel, Almancil
Luís Gaspar – Restaurante Sala de Corte, Lisboa
Luís Madeira – Restaurante Fonte da Pedra, São Brás de Alportel
Miguel Silva – Palace Hotel do Bussaco, Luso
Nicu Lastremschii – Restaurante Loco, Lisboa
Nuno Fernandes – Restaurante O Talho, Lisboa
Pedro Pinto – Vila Vita Parc Resort & Spa, Porches
Ricardo Raimundo – Escola de Hotelaria de Fátima
Tomás Pires – Restaurante Olivier Avenida, Lisboa
Tony Martins – Douro Palace Hotel Resort & Spa, Baião

Os suplentes:

Ilídio Simões – Palace Hotel do Bussaco, Luso
Tiago dos Santos – Carris Land Portugal

Regulamento

Questões Frequentes:

Podem participar todos os profissionais de cozinha, residentes em Portugal e com mais de cinco anos de experiência profissional comprovada, ou idade superior a 25 anos.

Após a recepção de todas as candidaturas, as fichas técnicas são codificadas e enviadas ao júri, sem qualquer identificação do concorrente. Após a recolha das pontuações dos júris, são apurados os 6 concorrentes mais bem classificados de cada região que irão aos concursos regionais. No caso de não existirem concorrentes insuficientes em alguma zona é repescado o concorrente seguinte mais bem classificado e que não ficou apurado para a sua região.
Em cada concurso regional é nomeado um vencedor, 2ª e 3ª menções honrosas.
No último concurso regional ficam apurados até 6 concorrentes, os mais bem classificados nos concursos regionais e que irão prestar provas na última etapa do concurso, a final nacional.Após a recepção de todas as candidaturas, as fichas técnicas são codificadas e enviadas ao júri, sem qualquer identificação do concorrente.
Após a recolha das pontuações dos júris, são apurados os 6 concorrentes mais bem classificados de cada região que irão aos concursos regionais. No caso de não existirem concorrentes insuficientes em alguma zona é repescado o concorrente seguinte mais bem classificado e que não ficou apurado para a sua região.
Em cada concurso regional é nomeado um vencedor, 2ª e 3ª menções honrosas.
No último concurso regional ficam apurados até 6 concorrentes, os mais bem classificados nos concursos regionais e que irão prestar provas na última etapa do concurso, a final nacional

Os critérios de pontuação ao longo das várias fases do concurso são os seguintes:

Apuramento das receitas enviadas para os concursos regionais:
Pontuação máxima 100 pontos por menu

Criatividade/inovação: 25 pontos
Composição/harmonia do prato: 25 pontos
Equilíbrio nutricional: 15 pontos
Preparação correspondente à moderna arte culinária: 15 pontos
Uso de produtos do receituário tradicional português: 20 pontos (Novo Critério)

Concurso regional e final nacional:

Pontuação Técnica:
Pontuação máxima por prato: 30 pontos

Mise-en-place: 5 pontos
Técnica e habilidade profissional: 15 pontos
Higiene e método de trabalho: 5 pontos
Condição dos produtos utilizados e desperdício: 5 pontos

Pontuação Prova:
Pontuação máxima por prato: 70 pontos

Apresentação e empratamento: 10 pontos
Sabor e aroma: 45 pontos
Pontos de cozedura e texturas: 10 pontos
Valor económico, execução comercial e harmonia: 5 pontos

Não, cada concorrente terá o apoio de um ajudante que a organização assegurará, não sendo possível levar o seu próprio ajudante. Este ajudante apenas poderá executar tarefas de limpeza, higienização e preparação dos produtos, não podendo participar diretamente na confecção e empratamento.

PUB
PUB
PUB

PUB