Nome: Tony Martins
Idade: 35 anos
Local de trabalho: Jase Hotels & Resorts
Percurso: Vintage House Hotel, Hotel Dom Pedro Marina, Restaurante Kalku Varti, Restaurante Druckwasserwerk, Hotel Palácio do Bussaco, Casino da Figueira da Foz, Broze – Sea Food & Lounge


Como és enquanto cozinheiro?

Sou curioso, concentrado e resiliente.

Que produtos improváveis resultam muito bem?

Não sei se são de todo improváveis, mas para mim, resultam muito bem alheira com maçã e línguas de bacalhau com laranja.

Qual o prato de que gostarias de ter sido o autor e porquê?

Do leitão à Bairrada, um prato que mostra que a simplicidade é o mais difícil de alcançar.

O que esperas da final do Chefe Cozinheiro do Ano?

Espero que seja mais uma grande representação da cozinha portuguesa, dos nossos produtos e produtores e dos nossos profissionais de hotelaria. Que seja um bom convívio e que ganhe o melhor. Não é a primeira vez que concorro, é algo que tenho como objectivo há muitos anos e se chegar longe na competição já é bastante importante para mim, conseguir vencer é um desejo enorme, um sonho.